Veja todos os Detalhes sobre a Resina Cristal!

Resina Cristal

As resinas, naturalmente, são secreções que se originam nas árvores, principalmente as coníferas. A resina é como uma camada de proteção para locais que foram danificados nas árvores.

Com o avanço de tecnologias industriais, o ser humano passou a produzir essas resinas sinteticamente, para os mais variados fins. A resina que vamos tratar neste artigo, a cristal, faz parte das resinas produzidas de forma sintética.

Veja a seguir as principais características da resina transparente e como ela, provavelmente, faz parte do seu dia a dia.

Resina Cristal

 O que é uma resina cristal?

A resina cristal é um dos vários tipos de resinas existentes. Ela possui algumas características que a diferencia dos demais tipos de resina.

A resina cristal é a mais indicada para trabalhos que precisem de um resultado transparente Ela pode ser utilizada em diversas áreas, desde grandes reparos automobilísticos até em pequenos artesanatos. Porém, a sua principal característica é ser incolor e transparente.

A transparência deste tipo de resina é extremamente durável, ou seja, diferente de outras resinas ela demora muito mais para se tornar amarelada com o tempo. Por isso as resinas cristais vem sendo cada vez mais utilizadas quando um resultado estético agradável também é desejado.

 Resina Epóxi Cristal

A resina epóxi é o tipo de resina com mais variabilidades no mercado. Existem diversos tipos de resina epóxi, sendo a cristal uma delas. A resina epóxi cristal possui alta resistência térmica, química e mecânica. Ou seja, é uma resina altamente durável e resistente.

Também possui uma ótima aderência e são impermeáveis.

A diferença entre a resina epóxi e a resina epóxi cristal está em sua coloração. Ainda sobre os tipos de resina, existe a resina epóxi para madeira e existe também a resina epóxi cristal para madeira. A escolha irá depender da necessidade de transparência para o resultado final de seu uso.

A resina epóxi cristal pode ser utilizada no nivelamento de pisos ou revestimento de mesas de madeira criando um dos tipos de mesa resinada, por exemplo.

Resina de Alta e Baixa Viscosidade

As resinas possuem diversas características que devem ser levadas em consideração na hora de seu uso. Uma dessas características é a sua viscosidade.

A viscosidade nada mais é do que o atrito interno que a resina terá em sua aplicação. Seja com a própria resina ou com materiais que entrarão em contato e farão parte da peça.

As variações de viscosidade interferem diretamente no resultado, dureza e na própria aplicação da resina. Tanto as resinas de alta quanto as resinas de baixa viscosidade possuem vantagens e desvantagens em seu uso. Tudo dependerá de como, onde e quantidade que ela será aplicada.

Por isso é importante utilizar a viscosidade adequada para obter o resultado que você deseja na utilização da resina.

As resinas de alta viscosidade são mais grossas,. São mais difíceis de escorrer. Nas resinas com alta viscosidade a formação de bolhas também é maior. Isso acontece porque a bolhas não conseguem chegar á superfície facilmente por conta da consistência.

Se o resultado desejado for uma peça mais dura, a resina de alta viscosidade é a mais indicada. Quanto mais viscosa, mais dura ficará a resina após o tempo de cura.

Alguns tipos de resina para artesanato, por exemplo, que são de alta viscosidade, pois acabamentos arredondados são melhor obtidos com esse tipo de resina.

Já as resinas de baixa viscosidade são mais líquidas, o que facilita seu espalhamento. As bolhas de ar tem mais facilidade de se dissipar nesse tipo de resina.

Se você quiser obter um bom nivelamento na aplicação de resinas, a de baixa viscosidade é a mais indicada. A baixa viscosidade é também a mais indicada para moldes que tenham muitos detalhes. Por ser mais líquida, a resina penetra facilmente nos moldes tornando a reprodução dos detalhes muito mais perfeita.

Qual resina é mais resistente?

Uma resina considerada resistente pode ter diversas características. A resistência de um resina pode ser medida em resistência mecânica, química e à altas temperaturas.

A resistência mecânica diz respeito à resistência física que a resina tem. Se ela pode quebrar ao cair no chão, se ela suporta fortes impactos e o quanto ela pode sofrer com riscos.

A resistência química diz respeito à conservação da resina ao ser exposta a certos químicos, como produtos de limpeza por exemplo.

E por fim, a resistência a altas temperaturas diz respeito a conservação da resina quando exposta a locais muito quentes, ou até mesmo diretamente no fogo.

Um exemplo de resina resistente é a resina epóxi cristal. Sua resistência é muito alta em todas as características mencionadas anteriormente. A resina epóxi faz parte do grupo de plásticos termorrígidos. Essa resina quando exposta a altas temperaturas pode ficar mais maleável, porém não ocorre seu derretimento.

Além disso, quando falamos de uso em menor escala a resina epóxi é resistente à qualquer químico que usamos no dia a dia. Em escala industrial, existem resinas de transportes de substâncias químicas, por exemplo, que certamente sofrerão a ação do tempo diminuindo sua durabilidade.

Há também a resina acrílica que possui uma grande resistência. Ela faz parte do grupo dos termoplásticos, que em altas temperaturas derrete, voltando ao estado original. Essa resina é muito indicada para trabalhos artesanais justamente por essa característica de ser flexível e poder voltar a sua rigidez quando seca.

A viscosidade da resina também pode influenciar em sua resistência. Em relação à dureza, quanto mais viscosa mais rígida será a resina após a cura.

É importante também aguardar todo o período de cura das resinas, assim você garante que ela atingiu todas as características finais e não compromete sua durabilidade e rigidez.

 Como diluir a resina cristal?

A diluição é uma etapa que facilita a utilização e aplicação de resinas. A resina cristal, geralmente, é mais grossa e viscosa que os outros tipos de resina, por isso sua diluição é uma etapa importante.

É possível que a resina seja pré-diluída diretamente de fábrica. Alguns fabricantes optam por adicionar o monômero de estireno para facilitar o uso da resina. O monômero de estireno é um diluidor comum e fácil de encontrar e é mais indicado para diluição de resina cristal poliéster.

Se a resina não for pré-diluída, ou se precisar de mais diluição, é possível adicionar o monômero de estireno manualmente. Este diluidor diminui a viscosidade da resina para ajudar na aplicação em moldes ou em laminações.

Quanto à quantidade, irá depender da consistência e da finalidade do uso da resina. Mas o ideal é a diluição de 5% à 10% do monômero de estireno na resina cristal. O ideal é verificar qual a viscosidade desejada para a aplicação.

É importante dizer que a diluição em excesso pode comprometer a dureza e rigidez após a cura. Por isso, é preciso atenção para não diluir demais. Durante a diluição é indicado misturar devagar para evitar o aparecimento de bolhas.

Também, existe outro tipo de diluidor indicado para resina cristal, porém ele pode ser mais difícil de ser encontrado. É o MMA ou metil metacrilato. Este diluidor é ideal para resina cristal, pois suas características impulsionam ainda mais a transparência da resina.

 O que pode ser feito com uma resina cristal?

A resina cristal é utilizada para revestimentos de necessitem de reparos transparentes, pois essa é sua principal característica. Logo as opções de uso são inúmeras.

Laminações que utilizem fibra de vidro utilizam a resina cristal por exemplo. Se uma peça possui fibra de vidro em sua composição, a resina cristal é a que será utilizada para acabamentos ou reparos. Além disso, a essa resina pode ser utilizada:

Resina Cristal

  • Na Indústria automobilística
  • Fabricação de telhas
  • Na fabricação de brinquedos
  • Em reparos e revestimentos em piscinas
  • Na fabricação de peças transparentes maciças
  • Artesanato
  • Tampos de mesa
  • Itens domésticos como tábuas de carne ou fruteiras
  • Decoração
  • Bijuterias
  • Incrustação de insetos

Por fim, você acabou de conferir mais sobre as resinas, em especial a resina cristal e como seu uso pode ser bem diverso. Desde o uso em grandes escalas a pequenas bijuterias, a resina faz parte de nosso dia a dia.

Quanto mais trabalhamos com esse tipo de material, mais experiência e criatividade podem ser adquiridass.